Como construir um banco de talentos?

Como construir um banco de talentos?

Provavelmente, você já ouviu falar sobre banco de talentos, um termo bastante falado atualmente, principalmente por gestores e recrutadores de empresas variadas.

No entanto, muitas pessoas não acreditam quando um recrutador diz que irá manter um candidato mesmo não aprovado nesse banco de dados. Mas a verdade é que essa prática existe e serve para facilitar o preenchimento de novas vagas.

Com a competitividade em alta, muitas vezes quando um candidato é escolhido os seus concorrentes possuíam um nível de conhecimento, capacidades e experiência bastante semelhante, de forma que futuramente podem ser aproveitados.

Assim como muitos candidatos não acreditam que as suas informações ficarão gravadas em um banco de talentos, muitos gestores ao ouvirem falar sobre essa estratégia acreditam que seja uma perda de tempo.

No entanto, grandes empresas do mundo todo, principalmente as multinacionais, estão provando a cada dia o quanto ter um banco de informações de candidatos pode ser repleto de benefícios.

Nem sempre um candidato reprovado para uma determinada posição não poderá dar certo em outra. Por isso que o RH geralmente diz que aquele currículo pode servir para oportunidades futuras.

Mas será que ter um banco de talentos na minha empresa vai ajudar mesmo na rotina do RH e nas admissões de pessoas realmente qualificadas? Entenda neste post os maiores diferenciais dessa prática e veja dicas de como tirar essa ideia do papel.

Quais as vantagens de possuir um banco de talentos?

Responsável por captar profissionais qualificados e que já conhecem a empresa e a sua forma de trabalhar, o banco de talentos pode trazer diversas vantagens, que no final das contas podem fazer toda a diferença, tanto no cotidiano quanto nos custos.

Reduz custos

Se você tem currículos armazenados e segmentados de acordo com a área de atuação, não precisará contratar plataformas de recrutamento ou até mesmo realizar testes de triagem em softwares que podem custar um pouco a mais do esperado.

Uma vaga em aberto por muito tempo significa que a organização está com a equipe reduzida e que os colaboradores destinados a cobrir aquela falta podem deixar os seus afazeres em segundo plano, aumentando a rotatividade, o que é estressante.

Otimiza os processos

O banco de talentos traz um outro benefício muito importante, principalmente para a área de recrutamento e seleção, que é o de agilizar processos. 

Em vez de captar centenas de currículos, analisar os melhores e depois partir para testes iniciais, para só depois fazer a entrevista com o RH e o líder da área, no caso de banco de talentos o RH irá apenas entrar em contato com aquela pessoa e oferecer a oportunidade.

Além de economizar tempo, pula etapas demoradas e que nem sempre são a melhor escolha, principalmente se a necessidade daquele colaborador é alta.

Traz mais agilidade em contratações

Quando o colaborador já participou de processos seletivos anteriores, não é necessário explicar tudo de novo sobre a empresa, aplicar determinados testes de comportamento e personalidade, bem como outras fases.

Principalmente se o processo seletivo em que aquela pessoa participou faz menos do que seis meses, os seus dados estão atualizados e os testes usados para medir competências e decisões se mantêm válidos.

Inclusive, por já conhecer a organização, o candidato prontamente pode falar se aceita ou não a oportunidade, sem rodeios.

Como construí-lo?

Para que a sua empresa crie um banco de talentos, é preciso, em primeiro lugar, trazer esse conceito para toda a organização, principalmente para a área do RH.

Explicar os seus benefícios e a importância de ter um banco de dados de possíveis colaboradores futuros, bem como ensinar como fazê-lo e fornecer as ferramentas adequadas para isso.

Depois, a cada seleção, é hora de prosseguir com o processo seletivo e reter currículos que por pouco não foram os escolhidos dessa vez. 

Futuramente, quando abrir uma nova oportunidade, basta checar esse banco de dados e entrar em contato com as pessoas que podem combinar com a vaga em questão, antes de abrir processos em plataformas pagas.

E aí, pronto para criar um banco de talentos e chamar a atenção na sua organização?

Aproveite e fique por aqui mais um pouco e leia também sobre a importância da cultura organizacional.

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Veja também: