Cultura tradicional x cultura de startup: quais as diferenças?

Cultura tradicional x cultura de startup: quais as diferenças?

Ainda hoje, é comum encontrarmos empresas que mantém a visão patrão x empregado, onde o primeiro dá as ordens e o segundo obedece sem questionamentos.

Assim como as gerações mais novas têm um perfil completamente diferente, muitas empresas também amadureceram.

Mas, as surpreendentes startups, normalmente sob o comando de uma nova geração de líderes, é que vem trazendo mudanças impressionantes na cultura empresarial.

Nesse post vamos abordar a visão e a cultura das empresas tradicionais e das startups. Continue lendo e confira!

O que é cultura organizacional?

Cultura significa o comportamento de uma sociedade a partir do conhecimento, arte, crenças, lei, moral, costumes, hábitos e aptidões dos indivíduos.

A cultura organizacional tem um conceito parecido, no entanto, voltado às instituições em que pessoas estão inseridas.

Normalmente, a cultura organizacional das corporações tradicionais são modeladas a partir de conceitos vindos da administração empresarial ensinados nos meios acadêmicos há mais de 30 anos.

Entretanto, existem muitas empresas tradicionais que estão inseridas no mercado há muito tempo e que modificaram seus conceitos na busca de uma administração moderna e eficiente.

Mas, essas grandes mudanças, no que se refere a cultura organizacional, se iniciaram e ainda se encontram nas startups, que modificaram completamente o relacionamento entre os colaboradores de uma mesma organização.

São particularidades que chamam a atenção e que fazem toda a diferença na busca da qualidade e comprometimento dos envolvidos.

A cultura tradicional

Não faz muito tempo, existia uma parede praticamente intransponível entre diretores e funcionários nos modelos tradicionais de administração empresarial.

O relacionamento entre os dois lados era uma mistura de medo e descaso, pois, não havia comprometimento de nenhuma das partes.

O patrão considerava o funcionário um mal necessário e este, por sua vez, só se movimentava a partir de ordens e comandos vindo de cima, uma vez que cumpria seu horário e não tinha qualquer compromisso, além de estar a disposição para o trabalho.

É claro que exceções existem e não são todas as empresas e nem todas as pessoas que se enquadravam nesses moldes, mas, a maioria era assim.

Com o acesso à informação que a internet trouxe, os relacionamentos começaram a mudar e se estenderam para os empresariais e aí entra a cultura de startup.

A cultura de startup

As startups são empresas enxutas que, geralmente, têm uma verba mais apertada e menos recursos.

Entretanto, seus líderes têm uma visão totalmente diferença de gestão e comprometimento.

Envolvimento, engajamento e compromisso são basicamente as primícias que os novos empreendedores desejam observar naqueles que venham fazer parte do seu time.

A busca dessas organizações são por profissionais que tenham satisfação, prazer em fazer parte do time e isso se percebe nas antigas startups que hoje são gigantes do mercado, mas que não abandonaram o jeito moderno de organizar a empresa.

Preferem trabalhar com pessoas que se sintam tão bem na empresa, quanto se sentem em suas casas.

Para isso, prezam que as relações sejam transparentes e saudáveis e que todos tenham espaço para colocar sua opinião, se sentindo assim valorizados e motivados.

A cultura é inspirada em práticas modernas de administração, onde as pessoas possam apresentar suas ideias, pensamentos e, inclusive, as críticas a respeito de processos e caminhos que estão sendo traçados pela organização.

São visões completamente diferentes nos conceitos tradicionais e de startups.

As diferenças culturais

Alguns pontos são bem característicos e conseguem ser percebidos nitidamente entre a cultura tradicional e de startup:

Crescimento do negócio

Tradicional: nem sempre os empresários desejam crescer seus negócios, estão muito mais voltados a mantê-lo estável no mercado em que atuam, garantindo a sobrevivência e a manutenção da empresa.

Startup: tem sede por crescimento e trabalha incessantemente para transformar seu negócio em uma grande oportunidade de sucesso.

Produtos

Tradicional: trabalha em segmentos consolidados e busca por mercados estabelecidos e compradores.

Startup: busca por mercados ainda não explorados e deseja apresentar novidades, novas tecnologias e conceitos.

Equipe

Tradicional: desejam colaboradores que cumpram sua missão, dentro de um comportamento considerado aceitável e façam bem a sua parte.

Startup: busca por colaboradores que venham somar e trazer novas ideias, sem dar muito importância a detalhes comportamentais que não interfiram nos resultados.

Basicamente, a cultura tradicional é a da manutenção do que já está estabelecido, enquanto a das startups é a de modificar costumes e maneiras de viver, trazendo novos produtos e serviços.

Ficam as perguntas:

Quem está certo? Qual a melhor maneira de administrar uma empresa? Onde você gostaria de trabalhar?

São gostos e entendimentos de cada pessoa que precisam ser respeitados, mas, o fato é que mesmo as instituições tradicionais precisam se remodelar, sob pena de não alcançarem mais a dinâmica dos novos tempos.

Se você gostou do nosso post, leia também Equipe de alta performance: o que é e como formar?

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Veja também: